Pesquisar
Close this search box.
cedimp otimizado ezgif.com gif to avif converter

75% das crianças já receberam vacina BCG no primeiro semestre do ano no Acre

FOTO: REPRODUÇÃO

Entre as primeiras vacinas indicadas para recém-nascidos está a BCG, que previne contra as formas mais graves da tuberculose, como a tuberculose miliar e a meningite tuberculosa. De acordo com o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, nos seis primeiros meses de 2024, a cobertura vacinal desse imunizante atingiu 75,3% em todo o país. O número já se aproxima do índice preliminar de todo o ano de 2023, quando 79,1% das crianças menores de um ano foram vacinadas. No estado do Acre, 75,43% dos bebês já receberam o imunizante neste primeiro semestre.


A tuberculose é transmitida pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, mais conhecida como bacilo de Koch. Além de atingir os pulmões, os ossos, rins e meninges também são afetados. Os principais sintomas são tosse – que pode conter sangue, falta de ar, dor no peito, fraqueza, perda de peso, febre e sudorese ao final do dia.


O Ministério da Saúde recomenda que a dose seja aplicada o mais precocemente possível logo após o nascimento em bebês com mais de dois quilos. Caso não seja possível administrar ainda na maternidade, a vacinação deve ocorrer na primeira ida à Unidade Básica de Saúde (UBS). Depois da aplicação, a reação começa com uma mancha vermelha que evolui para uma pequena ferida e, por fim, a famosa cicatriz no braço direito, que a maioria das pessoas desenvolve.


A vacina BCG é a porta de entrada para o calendário de vacinação das crianças, segundo Eder Gatti, diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde. “Desde o início de 2023, uma série de ações vem sendo realizadas para reforçar a cultura de vacinação no país, com destaque para a estratégia de microplanejamento, recomendada pela OMS, que consiste em diversas atividades com foco na realidade local de cada estado e município”, destaca.


A Organização Mundial da Saúde estima que, nos países onde a tuberculose é frequente e a vacina integra o programa de vacinação infantil, mais de 40 mil casos anuais de meningite tuberculosa são evitados. Além das crianças, a vacina é indicada para quem convive com pessoas diagnosticadas com hanseníase e estrangeiros menos de cinco anos que estejam de mudança para o Brasil e não foram imunizados.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
img 6916

Últimas Notícias