Pesquisar
Close this search box.
cedimp otimizado ezgif.com gif to avif converter

Senado aprova Novo Ensino Médio com mais horas para disciplinas básicas

53803198448 c892362396 o

O Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o projeto do Novo Ensino Médio, que determina carga horária de 2,4 mil horas, distribuídas em três anos, para as disciplinas obrigatórias, como português e matemática. O texto reestrutura novamente o ensino médio- última etapa da educação básica-, reformado em 2017.


Devido às mudanças feitas pelos senadores, a matéria vai passar por nova votação na Câmara dos Deputados, antes de se tornar lei.


A proposta inclui o espanhol como curso obrigatório, dentro da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Na lei atual, apenas o inglês é exigido como língua estrangeira.


Estados apontam dificuldade para cumprir a regra pois não terão meios para contratar novos professores. Secretários de Educação afirmaram que alguns entes estão em regime de recuperação fiscal e, por isso, “impossibilitados de criar novos cargos ou realizar concurso público”.


A relatora, senadora Professora Dorinha Seabra (União-TO), possibilitou que outro idioma seja ofertado, em substituição ao inglês ou ao espanhol. Isso acontecerá em situações em que escolas fronteiriças já ofereçam um outro idiomal, considerando o cenário regional. Um exemplo é o estado do Amapá, que faz fronteira com a Guiana Francesa.


Conforme o projeto, o ensino de língua francesa será admitido para respeitar o contexto histórico do local, e caso as instituições não consigam incluir um terceiro idioma no currículo, como o espanhol, que agora será obrigatório.


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para acesso ao ensino superior, só vai considerar o currículo comum (BNCC).


Carga horária

 


Hoje, a lei determina 3 mil horas para cursar todo o ensino médio- 1,8 mil horas dedicadas para as matérias essenciais, sobrando 1,2 mil horas para cursos opcionais. As únicas matérias que precisam constar obrigatoriamente nos três anos são português e matemática. São mil horas de aulas por ano.


A organização da sociedade civil Todos Pela Educação explica que o modelo atual fixa um “teto” de 1,8 mil horas para a formação básica. De acordo com a entidade, esse patamar é “excessivamente baixo”, o que causou um “achatamento de disciplinas básicas e fundantes”.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
img 6916

Últimas Notícias