Pesquisar
Close this search box.
img 6916

Dupla é condenada a 32 anos de prisão pela morte de indígena no Acre

Dois acusados foram condenados a 32 anos de prisão pelo assassinato a tiros de um indígena em Sena Madureira, no interior do Acre, em dezembro de 2022. Pedro Henrique Mendonça da Silva, acusado de ser o autor dos disparos, foi sentenciado a 16 anos e 6 meses de reclusão, além do pagamento de 24 dias-multa. Antônio Marcos Oliveira de Queiroz recebeu a mesma pena.


Ambos responderam por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima, Fábio Machico Alfredo Jaminawa. Silva também foi condenado por corrupção de menor, por ter integrado um adolescente ao crime, enquanto Queiroz foi absolvido dessa acusação.


O juiz Zacarias Laureano de Souza Neto levou em conta que os acusados integram organização criminosa, e Queiroz tem antecedentes criminais. Por isso, negou a possibilidade de recorrerem em liberdade. A defesa dos réus não foi contatada pelo G1.


Fábio Machico Alfredo Jaminawa, de 18 anos, morreu enquanto recebia atendimento médico no Hospital João Câncio, em Sena Madureira, interior do Acre, no dia 4 de dezembro de 2022. O jovem foi baleado três vezes na Rua Maranhão enquanto passava de bicicleta. Os suspeitos do crime estavam em uma motocicleta, atiraram e fugiram do local. A polícia foi acionada para atender uma ocorrência de tentativa de homicídio, e o rapaz foi ferido com um tiro em uma das pernas e dois na região do quadril.


Com informações do G1-AC


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
192882c8aaa53f9b4e234a4553bdad21

Últimas Notícias