Pesquisar
Close this search box.
posto village ezgif.com gif to avif converter

Três influencers são presas por divulgar uso de ‘vapes’ com óleo de maconha

gl7cjsmxsaaxll0

Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Distrito Federal iniciaram nesta quarta-feira (24) a Operação Refil Verdecontra o tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e crimes contra a saúde pública. Até a última atualização desta reportagem, 7 pessoas haviam sido presas nesses 3 estados, entre elas 3 influenciadoras.


Segundo as investigações, a quadrilha contrabandeava dos Estados Unidos óleo de maconha para cigarros eletrônicos, ou vapes. O entorpecente vinha envasado em potes de cera de depilação e chegava ao Brasil pelo Paraguai.


O grupo, para promover a venda das drogas, tentava atingir um público maior, alegando funções terapêuticas para os produtos.


A ação desta quarta é mais uma etapa da Operação Nárke, coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça.


Rhaynara Didoff, Letícia Susane Correia Castro e Elisa de Araújo Marden — Foto: Reprodução/TV Globo

Rhaynara Didoff, Letícia Susane Correia Castro e Elisa de Araújo Marden — Foto: Reprodução/TV Globo

 O grupo criminoso mantinha websites e contas em redes sociais, onde anunciava “remédios para diversos tipos de doenças”. Profissionais de tecnologia da informação do Rio de Janeiro eram responsáveis pela construção das plataformas de comércio eletrônico. Um deles foi preso nesta quarta em Nova Iguaçu.


Para expandir as vendas, digital influencers de diversas partes do país foram contratadas para divulgar os produtos distribuídos pelo grupo. Três dessas influenciadoras digitais são do Distrito Federal e foram presasRhaynara DidoffLetícia Susane Correia Castro e Elisa de Araújo Marden.


A organização criminosa abriu contas bancárias em nome de terceiros, utilizava empresas fantasmas e documentos falsos e aplicava tecnologia de deepfake para burlar a segurança de aplicativos bancários.


Homem preso no RJ na Operação Refil Verde — Foto: Reprodução/TV Globo

Homem preso no RJ na Operação Refil Verde — Foto: Reprodução/TV Globo

A rota da droga

 


O óleo de cannabis era comprado em grandes quantidades nos Estados Unidos. A carga ia para o Paraguai e entrava no Brasil por Foz do Iguaçu (PR). Já os itens à venda, como embalagens e refis, vinham da China já com a marca da loja.


O destino era São Paulo, onde os criminosos manipulavam o insumo e o evasavam em refis de cigarros eletrônicos e em frascos de canabidiol, por exemplo.


De acordo com as investigações, o bando misturava solventes e aromatizantes ao óleo de cannabis e dizia ter “diferentes genéticas de maconha” — mas a matéria-prima era a mesma.


Os chefes operavam o esquema remotamente do interior paulista e tinham várias camadas de proteção, a fim de evitar que se chegasse até eles.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
(ac) banner ofertas seg e ter atacale 20e21 05

Últimas Notícias