Pesquisar
Close this search box.
23.1 digital master super banner pmrb rbo do futuro 2024 ezgif.com gif to avif converter (1)

Desativação de usina térmica no Juruá será como retirar de circulação quase 100 mil carros 

frame 321 4 978x600

Para garantir energia elétrica para a população de Cruzeiro do Sul, Mancio Lima e Rodrigues Alves, são utilizadas cerca 150 mil litros de diesel por dia para manter a usina térmica em funcionamento. Por mês, isso custa R$ 33 milhões em combustível. Por ano, a usina emite 119 mil toneladas de gás carbônico (CO2e) para a atmosfera, que é altamente poluente, contribui para o aquecimento global e até para a proliferação de doenças respiratórias na população. De acordo com a Energisa, que distribui a energia, ao desligar a térmica de Cruzeiro do Sul será como se fossem retirados das ruas 95,2 mil carros.


A descarbonização será feita com a conexão da região ao Sistema Interligado Nacional -SIN. deve acontecer em 2025, por meio do linhão que está sendo feito. Com isso, toda a região será atendida pela mesma energia que mantém Rio Branco e boa parte do Brasil, por meio de rede de transmissão de energia.


Para o coordenador de Construção de Subestação da Energisa Acre, Aislan Kelvin, a interligação vai gerar crescimento para o estado. “Essas obras vão garantir desenvolvimento sustentável do estado, além de garantir autonomia energética para o Acre. Para as subestações já construídas nos municípios de Feijó, Tarauacá, Manoel Urbano e Asis Brasil, com a desativação das termoelétricas e interligação ao SIN, os indicadores de qualidade mostram que a duração das interrupções caiu e a frequência delas também, melhorando a qualidade da energia para o cliente”, detalha o coordenador lembrando que o projeto de interligação é um compromisso que a Energisa assumiu ao chegar ao Acre, em dezembro de 2019.


 


O que descarbonização


 


É quando os combustíveis fósseis, que emitem gás carbônico, são substituídos por fontes de energia renovável. O desligamento das usinas térmicas no Acre é um projeto liderado pela Energisa Acre e começou em 2020 com a entrega das subestações de Assis Brasil e Manoel Urbano. Mais recentemente, os municípios de Tarauacá e Feijó também foram interligados e tiveram as usinas desligadas.


Depois de 2025, apenas as usinas térmicas dos municípios de Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Santa Rosa do Purus continuarão em funcionamento, por falta de acesso terrestre. Mas alternativas já estão sendo estudadas.


 


Com informações da Energisa Acre


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
970x250

Últimas Notícias