Pesquisar
Close this search box.
Weather Data Source: El tiempo a 25 días

Saiba quem é o fisiculturista suspeito de matar terceirizado da Enel em São Paulo

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do Ecos da Notícias.​

O empresário e fisiculturista Randal Rossoni, 44 anos foi preso por suspeita de ter matado um funcionário terceirizado da Enel na última quarta-feira (13). O crime ocorreu na zona leste de São Paulo e teria sido motivado por uma discussão depois de o trabalhador ter efetuado o corte de energia elétrica na academia de Rossoni.


O suspeito é proprietário de uma academia na Vila Paranaguá, também na zona leste, próximo a São Miguel Paulista. O crime ocorreu a cerca de 450 metros do local.


Segundo a Junta Comercial do Estado de São Paulo, a empresa de Rossoni foi aberta em 2009. A academia funciona na rua Antônio Carlos Lamego e passou por ampliações ao longo dos últimos anos. Em 2010, o espaço tinha somente um andar. Atualmente, tem três pavimentos.


Fachada da academia de Randal Rossoni, suspeito de ter matado funcionário terceirizado da Enel

Fachada da academia de Randal Rossoni, suspeito de ter matado funcionário terceirizado da Enel / Reprodução/Google Street View

Rossoni se apresenta como nutricionista e educador físico. Já participou de diversas competições de fisiculturismo, chegando a ser tricampeão paulista e vice-campeão brasileiro pela Confederação Brasileira de Culturismo e Musculação (CBCM).


Após o crime, Rossoni apagou seus perfis em redes sociais. Eram pelo menos três contas no Instagram: além do seu perfil pessoal, tinha um perfil focado em seu trabalho como nutricionista e um da academia.


CNN entrou em contato com a academia, mas não obteve retorno até o momento da publicação desta reportagem. A defesa de Rossoni também não foi localizada.


Como foi o crime

O desentendimento que motivou o crime teria começado após a vítima iniciar o procedimento para desligamento da energia elétrica, motivada pela ausência de pagamentos. Confrontado por Rossoni, o funcionário terceirizado da Enel terminou o serviço, saiu do local e manteve a rotina de trabalhos na região.


Pouco depois, por volta das 14h, policiais militares foram acionados para atender uma ocorrência em um posto de gasolina na avenida São Miguel, a cerca de 450 metros da academia.


No endereço indicado, encontraram o funcionário com um ferimento de disparo de arma de fogo, caído no chão. Comerciantes da região relatam que o crime foi repentino, seguido de um tumulto e gritaria no posto de gasolina em que o disparo foi efetuado. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.


Rossoni foi identificado na sequência pela Polícia Militar na avenida Manoel dos Santos Braga. Questionado pelos agentes, Rossoni confessou o crime e confirmou que foi motivado pelo desligamento da energia elétrica na academia.


O autor do disparo foi encaminhado a audiência de custódia e o caso foi registrado como homicídio consumado no 24° DP (Ponte Rasa).


Em nota, a Enel Distribuição São Paulo disse repudiar “veementemente o ato de violência cometido na tarde de hoje [quarta, 13] contra um eletricista de uma empresa parceira da companhia, durante uma atividade de corte de energia”.


“Após realizar o serviço de corte por inadimplência, o prestador de serviço foi baleado e morreu depois de ser socorrido e levado ao hospital. A companhia está em contato com a empresa parceira para que seja prestada assistência à família do colaborador. A Enel informa que foi registrado boletim de ocorrência e que acompanhará as investigações das autoridades policiais para que esse crime não fique impune”, acrescentou a empresa.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas notícias

Últimas Notícias