Pesquisar
Close this search box.

Passagens aéreas geram o maior impacto na inflação com aumento acima de 19%

A alta de 19,12% na passagem aérea foi responsável por metade de toda a inflação no país em novembro. O item contribuiu com 0,14 ponto porcentual para a taxa de 0,28% apurada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Por outro lado, a queda de 1,69% na gasolina ajudou a segurar a inflação no mês, subitem de maior impacto negativo, -0,09 ponto porcentual.


Os combustíveis ficaram 1,58% mais baratos em novembro. Além da gasolina, o etanol recuou 1,86%. Já o óleo diesel teve alta de 0,87%, e o gás veicular aumentou 0,05%.


Ainda em Transportes, o táxi subiu 2,22%, devido aos reajustes de 6,67% em São Paulo a partir de 28 de outubro e de 20,84% em Porto Alegre em 9 de outubro.


A gratuidade nos transportes metropolitanos concedida à população de São Paulo nos dias das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 5 e 11 de novembro, levou a uma redução de 6,45% nos subitens trem, metrô, ônibus urbano e integração de transporte público.


“Em Salvador houve alta nos subitens ônibus urbano (3,52%) e integração transporte público (2,59%), em função do reajuste de 6,12% nas passagens, a partir de 13 de novembro”, ponderou o IBGE.


Os gastos das famílias com Transportes passaram de um aumento de 0,35% em outubro para elevação de 0,27% em novembro. O grupo contribuiu com 0,06 ponto porcentual para a taxa de 0,28% registrada pelo IPCA de novembro.


 


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
1200 x 250 gif

Últimas Notícias