Pesquisar
Close this search box.
23.1 digital master super banner pmrb rbo do futuro 2024 ezgif.com gif to avif converter (1)

Com uma morte em Tarauacá, Acre notifica mais de 3,5 mil casos de malária em 2023

Mais de 3,5 mil casos positivos de malária foram notificados no Acre nos primeiros oito meses deste ano. Os dados são de um resumo epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (14) pelo Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), a pedido do G1.


Nos últimos anos, o estado vem registrando queda no número de casos. Segundo o levantamento, entre janeiro e agosto de 2022 foram registrados 4.437 casos de malária em todo o Acre, o que representa uma redução de quase 20% nas notificações no período de um ano.


Em 2023, segundo a Saúde, foi registrado um óbito por conta da malária, na cidade de Tarauacá. Em todo o ano de 2022, foram notificados dois óbitos em Cruzeiro do Sul, onde os casos de malária aumentaram 9% em um ano. Segundo os dados, em 2022, de janeiro a agosto foram registrados 1.889 casos e no mesmo período deste ano foram 2.061 casos.


Já em Mâncio Lima, houve uma redução de 34% nos casos, saindo de 1.459 para 962 em um ano. Em Rodrigues Alves também houve uma queda de 60,4% nos casos da doença no mesmo período.


O boletim mostra que em todo o ano passado, o Acre registrou 6.139 casos de malária, o que representou uma queda de 27,5% em relação ao ano de 2021, quando foram contabilizados mais de 8,4 mil casos. De 2018 a 2022, o estado apresentou uma redução de 76,2% nas notificações da doença.


Eliminação da malária até 2035


Estando entre os estados com maiores taxas de malária, o Acre aderiu, em maio do ano passado, ao plano nacional do Ministério da Saúde de eliminação da malária até 2035.


O plano foi lançado pelo então ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Entre as metas estão a de chegar a 2025 com menos de 68 mil casos, a 2030 com menos de 14 mil casos autóctones (que têm transmissão relatada dentro do Brasil) e de eliminação da doença até 2035 (zero casos autóctones).


 


Com informações do G1 Acre.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas Notícias