Pesquisar
Close this search box.
192882c8aaa53f9b4e234a4553bdad21

Filha de mulher assassinada a facadas no Acre diz que vítima sonhava em casar com o suspeito: ‘Estava feliz’

whatsapp image 2024 06 13 at 17.29.45

A família de Ketilly Soares de Souza, de 33 anos, ainda não sabe o que aconteceu entre ela e Simey Menezes Costa antes dela ser assassinada com mais de 10 facadas no último domingo (9). O mecânico que estava foragido desde o dia do crime foi preso na noite de quarta-feira (12).


O casal tinha se mudado recentemente para a Rua Raimundo Saldanha, no Polo Benfica, região do bairro Vila Acre, Segundo Distrito da capital. A ideia era começar uma vida juntos. Uma semana antes da morte de Ketilly, Simey a pediu em casamento durante um culto evangélico e emocionou a todos. (Veja pedido abaixo).


Antes, Simey morava com a mãe no bairro Betel e Ketilly com a mãe dela e a filha no bairro Floresta. O g1 conversou com Cristinna Ferreira de Lima, amiga da família de Ketilly, e Katheriny Lauany Soares, única filha da vítima.


Segundo a família, Ketilly e Simey tinham um relacionamento extraconjugal há mais de oito anos. O mecânico era casado na época em que os dois se conheceram. Após a separação há aproximadamente um ano, os dois assumiram o relacionamento e iniciaram os planos de casar e construir uma família.


“Ela sonhava em casar com ele, queria ter a casa dela, as coisas dela. Ele morava com a mãe dele e ela ia dormir lá. Ficava planejando a compra dos móveis, em ter as coisas deles. Ela estava feliz”, diz a filha da vítima.


Ainda segundo a jovem, Simey nunca aparentou ser um homem violento e nem tratava mal a noiva. Contudo, após o assassinato a família descobriu que o suspeito era dependente químico e tinha voltado a usar drogas.


“A gente não entende o que aconteceu, eles noivaram dias antes. Estamos sem entender os motivos. Descobrimos agora que ele tinha voltado a usar drogas, a família não sabia. Jamais a família teria deixado ela ser envolver com ele se soubesse disso. Ele veio aqui pedir a mão dela para a mãe [de Ketilly]. A gente veio descobrir depois”, lamentou Cristianna de Lima, amiga da família.


Ketilly Soares morava com a mãe e filha Katheriny antes de ir morar com o suspeito — Foto: Arquivo pessoal

Ketilly Soares morava com a mãe e filha Katheriny antes de ir morar com o suspeito — Foto: Arquivo pessoal

Controlador

 


Apesar de não ser agressivo com Ketilly, Katheriny Lauany disse que percebeu que Simey era muito controlador com a mãe dela. A jovem relembra que ele ligava diversas vezes durante o dia por videochamada para saber onde a vítima estava.


“Uma coisa que nunca gostei nele é que ficava ligando direto por chamada de vídeo. Quando deixava ela aqui e ia para casa dele ficava a todo tempo ligando de videochamada. Ligava a todo momento para saber o que ela estava fazendo, era controlador. Não gostava que ela dormisse fora de casa”, contou.


Katheriny recordou de uma situação que ocorreu no Dia das Mães e que acabou terminando em uma discussão entre ela e mãe. Ela pediu para que Ketilly dormisse na casa da avó com ela para ficarem juntas, já que ela sempre dormia na casa do noivo.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
cedimp otimizado ezgif.com gif to avif converter

Últimas Notícias