Pesquisar
Close this search box.
23.1 digital master super banner pmrb rbo do futuro 2024 ezgif.com gif to avif converter (1)

Acreano teve de trabalhar 4 meses e 28 dias para só pagar impostos em 2024

dinheiro foto marcelo casal agencia brasil 585x311

Um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revelou dados impactantes sobre os impostos no Brasil. Em 2024, o contribuinte acreano, bem como o brasileiro em geral, teve de trabalhar até o dia 28 de maio apenas para pagar tributos, ou seja, impostos, taxas e contribuições exigidos pelos governos federal, estadual e municipal.


Em 2023 foram necessários 147 dias trabalhados só para impostos e, em 2024, são 149 – quatro meses e vinte e oito dias exclusivamente para sustentar o dragão tributário.


Isso significa que a tributação sobre a renda, patrimônio e consumo, considerando o rendimento médio do brasileiro (média das faixas de cálculo no estudo), está atualmente em 40,71%, segundo o IBPT.


Nos dias de hoje se trabalha mais do dobro do que se trabalhava na década de 70, para pagar a tributação. O levantamento base, para o cálculo do número de dias trabalhados, foi feito por faixa de renda, considerando-se o período de maio de 2023 a abril de 2024.


Utilizou-se, para fins tributários, a faixa mensal de rendimento de até R$ 3.000,00 (classe baixa), de R$ 3.000,00 a R$ 10.000,00 (classe média) e acima de R$ 10.000,00 (classe alta). Para base desse estudo, nos utilizamos da faixa média dos rendimentos.


De acordo com outro estudo denominado IRBES (Índice de Retorno ao Bem Estar da Sociedade) observa-se que o Brasil, entre os 30 países de maior carga tributária no mundo, é aquele que dá o pior retorno à sua população, em relação aos valores arrecadados, no que se refere ao retorno dessas verbas, com direcionamento à melhoria dos serviços públicos e consequentemente, aumento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).


Até às 10h dessa quarta-feira (5), o acreano pagou quase R$2,55 bilhões em impostos neste ano de 2024, segundo o Impostômetro.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
192882c8aaa53f9b4e234a4553bdad21

Últimas Notícias