Pesquisar
Close this search box.
Weather Data Source: El tiempo a 25 días

Por que a Nike quer tornar os tênis Air Force 1 mais difíceis de encontrar

O Air Force 1 e o Pegasus são os itens básicos da linha de tênis da Nike e algumas das linhas de tênis mais antigas da empresa 25/3/2021 - REUTERS/Florence Lo/Arquivo
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do Ecos da Notícias.​

Os tênis Nike Air Force 1 e Nike Pegasus estão por toda parte. Mas, isso é um problema para a Nike, que quer torná-los mais difíceis de comprar.


A marca está reduzindo a produção dessas linhas clássicas de tênis para evitar descontos e abrir espaço para suas linhas mais novas.


O Air Force 1 e o Pegasus são os itens básicos da linha de tênis da Nike e algumas das linhas de tênis mais antigas da empresa. Os Air Force 1 são conhecidos por seu design totalmente branco, enquanto os Pegasus têm grandes swooshes da Nike na sola intermediária.


Ambos são comercializados para o uso diário, mas o crescimento dessas linhas e de outros produtos da Nike diminuiu, e as lojas têm promovido os tênis com mais frequência para eliminar o excesso nas prateleiras.


Esse é um risco para a Nike, a qual se vê como uma marca premium que deseja proteger sua capacidade de vender mercadorias a preços mais altos e evitar que os produtos sofram descontos excessivos.


Portanto, a empresa está reduzindo a oferta para tentar aumentar a demanda e vendê-los a preços totais. A Nike também quer incentivar os compradores a comprar tênis Air Max e produtos Pegasus novos e mais caros.


“Estamos mudando nosso portfólio de produtos” para linhas mais novas, disse o chefe financeiro da Nike, Matthew Friend, em uma teleconferência de resultados na quinta-feira.


“Estamos reduzindo o fornecimento de clássicos como o Air Force 1 e estamos reduzindo o fornecimento de Pegasus”, acrescentou.


As medidas da Nike também podem tornar mais difícil para os consumidores encontrarem os tradicionais tênis Air Force 1 brancos e as versões Pegasus nas lojas de calçados.


Mas os clientes fiéis da Nike farão a transição para outros tênis da marca, disse Christopher Burns, analista do setor de tênis e fundador do Arch USA, um blog sobre tênis e estilo de vida.


E isso não afetará muito os fãs de tênis como Burns. Os colecionadores de tênis se concentram em edições limitadas e linhas especiais de colaboração — não em linhas de mercado de massa como o Air Force 1, explicou.


Ainda assim, a estratégia da Nike afetará as vendas e poderá ser um tiro pela culatra se os consumidores não estiverem interessados em seus novos estilos.


Desaceleração do consumo e concorrência

A Nike disse que o corte prejudicará suas vendas durante o próximo ano fiscal, que podem cair durante a primeira metade do ano para um único dígito baixo, disse a empresa.


Os clientes estão mudando seu comportamento, deixando de lado as compras discricionárias de tênis caros e roupas esportivas para comprar itens básicos e experiências como shows e viagens.


Nike reduziu sua perspectiva de receita para o ano e disse estar buscando até US$ 2 bilhões em economia de custos nos próximos três anos.


Em janeiro, a empresa cortou 1.700 funcionários.


A Nike também está enfrentando uma nova concorrência: a Hoka, uma marca francesa fundada como um tênis de corrida para maratonistas hardcore que logo se tornou popular, está crescendo.


Conhecido por suas palmilhas volumosas, até mesmo o presidente Joe Biden foi fotografado no início desta semana saindo da Casa Branca com um novo conjunto de tênis Hoka — longe de ser um endosso da Geração Z, mas um sinal de que uma marca antes praticamente desconhecida está fazendo uma diferença nas vendas e na visibilidade.


Enquanto isso, a Nike também mudou sua estratégia de distribuição. Nos últimos anos, a empresa reduziu o número de varejistas tradicionais para os quais vende seus produtos e passou a crescer diretamente por meio de seus próprios canais, especialmente on-line.


A empresa afirmou que pode obter mais que o dobro do lucro vendendo produtos por meio de seu próprio site e lojas físicas do que por meio de parceiros atacadistas.


A Nike disse que concentraria seus recursos, marketing e produtos de ponta em apenas 40 parceiros varejistas selecionados, como a Dick’s Sporting Goods e a Foot Locker.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas notícias

Últimas Notícias