Pesquisar
Close this search box.
Weather Data Source: El tiempo a 25 días

Peixe de quase 60 quilos ganha concurso em Mâncio Lima

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do Ecos da Notícias.​

A 6° Feira do Peixe no município de Mâncio Lima, além do concurso de maior pescado de rios e dos açudes da piscicultura, tem como novidade o concurso de contos “Histórias de Pescador.” O evento, promovido pela prefeitura na Praça São Sebastião, foi iniciado na terça-feira (26) e será encerrada hoje (28).


Um jundiá de quase 60 quilos foi o maior pescado do evento na categoria “pesca artesanal”. O peixe pesou 58 quilos e desbancou os outros concorrentes. O peixe foi capturado pelos irmãos Jackson e Jardeson Lima de Oliveira, no Rio Japiim, com o utensílio de pesca conhecido como “ponta de linha”, que usa peixes menores como isca. A premiação foi de R$ 1 mil.


“Um peixe desse tamanho dá um trabalho grande. Às vezes, você fica de duas a três noites com a ponta de linha armada para poder pegar. Graças a Deus que na noite que nós armamos os anzóis já conseguimos pegar esse jundiá. Estamos muito felizes pela premiação da prefeitura. Os nossos rios são muito bons para pegar esse tipo de peixe e agora nós vamos vendê-lo”, destacou Jackson.


Na categoria “peixe criado em açude”, cinco variedades concorreram ao prêmio de R$ 800: pintado, matrinxã, tambaqui, pirapitinga e piau. Um tambaqui pescado em açude com 9,7 Kg, do piscicultor Erisson Macedo, venceu essa categoria.


“Este concurso é uma oportunidade muito boa de nós mostrarmos a qualidade do nosso peixe. Que haja mais concursos como esse, valorizando o nosso trabalho e o nosso produto. O tambaqui é o segundo peixe mais procurado na feira pela qualidade da carne e o sabor que ele tem e, para mim, é motivo de alegria ser o vencedor deste concurso com este peixe”, disse o piscicultor Erisson Macêdo.



Issac Lima, prefeito da cidade, falou sobre a realização do concurso. “O primeiro concurso do maior pescado da nossa feira foi tímido com peixes pequenos e houve pouca concorrência. Hoje, vejo o quanto os piscicultores investiram para concorrerem este ano e o que vimos foram peixes de mais de 50 quilos, como o pescado no rio e peixe de açude com quase 10 quilos. Isto é investir nas pessoas, é valorizar o trabalho duro de quem trabalha com esta cultura agrícola”, finalizou o gestor de Mâncio Lima.


Concurso de “história de pescador”


A feira trouxe uma novidade para esta edição: o concurso de contos “histórias de pescador”, que teve como participantes alunos da rede Municipal de Ensino. Sob a orientação dos professores, eles contaram histórias de pescador conhecidas dos pais e avós. O campeão foi o aluno Alef Fabiano Nascimento, da Escola Joaquim Generoso de Oliveira. A narrativa foi sobre a lenda do “Batedor do Japiim”, um ser que protege as florestas e rios da Amazônia, assustando as pessoas com batidas pela mata e só permitiria a caça e pesca para a sobrevivência.


“Esta história do Batedor do Japiim eu ouvi da minha irmã e fiquei muito aminado para escrever sobre esse protetor da natureza. Estou muito feliz. Quero agradecer ao meu professor, o diretor, a prefeitura e a minha escola, Joaquim Generoso, por ter vencido este concurso sobre histórias de pescador”, citou Alef.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas notícias

Últimas Notícias