Pesquisar
Close this search box.
Weather Data Source: El tiempo a 25 días

MP do Acre irá acompanhar remanejamento de ambulantes da frente do Pronto-Socorro

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do Ecos da Notícias.​

Após a repercussão do caso em que alguns comerciantes relataram ameaças de remoção de seus pequenos negócios da frente do Pronto-Socorro, o Ministério Público do Acre (MP-AC) decidiu abrir um procedimento administrativo nesta terça-feira (26), para acompanhar o processo de remoção dos trabalhadores do local.


Em entrevista à reportagem, os ambulantes Valdeci de Araujo e Alessio Francisco Ferreira, que atuam há mais de 15 anos na frente do hospital, afirmaram que estão enfrentando a possibilidade de terem que deixar o espaço. Para eles, o trabalho é a única fonte de renda para sustentar suas famílias.


O promotor de justiça Thalles Ferreira Costa explicou que, após a exposição da reportagem do ac24horas na última segunda-feira, 25, decidiu instaurar o procedimento para acompanhar as ações e políticas públicas adotadas pelo Município de Rio Branco em relação à situação dos ambulantes informais nas proximidades do Pronto-Socorro da Capital.


O despacho ressalta que todas as informações e esclarecimentos pertinentes devem ser obtidos das instituições envolvidas. “Para o acompanhamento do fato objeto deste procedimento e para o exercício das atribuições inerentes às funções institucionais do Ministério Público, deverão ser colhidas todas as informações e esclarecimentos das instituições pertinentes”, diz trecho do despacho.


Além disso, o promotor também oficiou Ilton César, diretor de Fiscalização Urbana de Rio Branco, para que, no prazo de 15 dias, forneça informações detalhadas, como o número de trabalhadores que serão retirados do local, data, horário e plano completo de desocupação da área.


Secretaria Municipal de Direitos Humanos Receberá ofício para garantir direitos dos trabalhadores


A Secretaria Municipal de Direitos Humanos também receberá um ofício para, no prazo de 15 dias, responsabilidade de repassar as ações planejadas para garantir a não violação dos direitos humanos dos trabalhadores em questão, por ocasião da desocupação do espaço.


O diretor de Fiscalização Urbana de Rio Branco, Ilton César, esclareceu que existe um plano para o remanejamento dos comerciantes. No entanto, ressaltou que o planejamento precisa ser discutido com o titular da pasta, o secretário municipal de infraestrutura, Cid Ferreira.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas notícias

Últimas Notícias