Weather Data Source: El tiempo a 25 días

Dia Nacional do Fusca: carro é desejado até hoje e modelos podem passar de R$ 220 mil

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do Ecos da Notícias.​

Este 20 de janeiro é uma data muito especial para entusiastas e colecionadores de carros antigos: é o Dia Nacional do Fusca. De tão representativa, tem até uma sigla entre os fãs: DNF. Mas por que é celebrada uma data nacional para o modelo, criado na Alemanha e cultuado mundo afora?


O Dia Nacional do Fusca remete ao 20 de janeiro de 1959, data em que o ‘Besouro‘ passou a ser fabricado no Brasil pela Volkswagen. De lá para cá, foram décadas de história de um automóvel que está na memória afetiva de gerações.


A produção nacional seguiu até 1986, quando foi substituído pelo Gol, um modelo bem mais moderno. O carro ganhou uma inusitada sobrevida em 1993. Naquele ano, o presidente Itamar Franco pediu à Volkswagen que voltasse a oferecer um carro popular. A empresa atendeu  e voltou a produzir o icônico modelo até 1996, último ano de fabricação.


Fusca segue bom de mercado

Quase 30 anos após sua saída definitiva de produção no Brasil, o Volkswagen Fusca segue como um dos modelos mais ativos no mercado de usados e antigos. Levantamento feito pelo site de comercio elétrico OLX revela que o modelo foi o mais procurado e comercializado entre os clássicos da plataforma.


Para ter referência de preço, um Fusca mal conservado, ainda usado na labuta de quem precisa de um carro barato, pode ser encontrado a partir de R$ 6 mil. No oposto disso, um Fusca alemão dos anos 1950 pode ser comercializado por valores acima de R$ 220 mil.


Segundo a empresa, o Fusca representou 40% de share das comercializações por meio do site e app, entre janeiro e novembro de 2023, dentre os modelos avaliados. O “Besouro” figura à frente de outros clássicos como Gol e Opala.


Essa impressão é compartilhada pelo empresário e automobilista Gustavo Brasil, que atua na compra e venda de carros antigos. Nunca foi um modelo de alto valor ou exótico, mas está entre os mais desejados por quem inicia nesse hobby.


Gustavo Brasil a bordo do Volkswagen Fusca 1300 1970: carro na família desde 1999

Gustavo Brasil a bordo do Volkswagen Fusca 1300 1970: carro na família desde 1999 / Arquivo Pessoal

“O Fusca vendeu muito, dessa forma, muita gente tem relação emocional com o modelo, pois quase todo mundo que nasceu no século passado tem alguma história, seja aventura ou desventura com o ‘Besouro’. Além disso as formas arredondadas simpáticas mantiveram o carro também como objeto de desejo das crianças, atingindo assim a várias gerações de interessados pelo modelo”, afirma Brasil.


O próprio antigomobilista, dentre vários modelos antigos e raros, mantém um Fusca 1300 de 1970 desde 1999: já foi carro de uso cotidiano e levou os dois filhos para a maternidade. Gustavo Brasil elenca os modelos mais desejados e que podem valorizar com o passar do tempo.


“Os modelos esportivos e raros sempre serão os mais cobiçados. Vamos abater dos modelos alemães, que puxaram essa fila primeiro. Sugiro a compra do 1600S, e as séries especiais dos anos 80, Prata, GL, Love, Verde Cristalino e Última Série. Eles não têm tanta coisa especial, mas como fabricaram poucos, tendem a ficar cobiçados”, recomenda Brasil.


História do Fusca

O Volkswagen Fusca surgiu de uma encomenda de Adolf Hitler, que queria um carro popular para os alemães. O projeto foi feito por Ferdinand Porsche, e a produção marcou a criação da Volkswagen. A Segunda Guerra atrapalhou os planos e somente no final a década de 1940 que o modelo de fato engrenou.


Batizado inicialmente de Volkswagen Sedan, o modelo chegou aqui em 1953, quando começaram as operações da Volkswagen no Brasil. Naquele mesmo ano, teve sua produção inaugurada em um galpão no bairro do Ipiranga, em São Paulo, no sistema CDK, que consiste em enviar um veículo completamente desmontado para ser finalizado no país onde será vendido.


ais de oito mil unidades do Fusca produzidas na Anchieta foram emplacadas já em 1959, ano da inauguração

Mais de oito mil unidades do Fusca produzidas na Anchieta foram emplacadas já em 1959, ano da inauguração / Volkswagen/Divulgação

Em 20 de janeiro de 1959, teve sua fabricação 100% nacional iniciada na unidade Anchieta da Volkswagen, em São Bernardo do Campo (SP). Ao longo de sua trajetória, o Fusca manteve sua essência com diferentes versões do motor quatro-cilindros refrigerado a ar, transmissão manual de quatro marchas e tração traseira. Chegou primeiro com um motor 1.200 cm³, que cresceu  para 1.300 cm³ em 1967, entregando 45 cv brutos.


A versão de 1.500 cm³ foi introduzida em 1970, oferecendo 52 cv e alterando o porte do modelo, conhecido como “Fuscão” devido à ampliação da bitola traseira em 62 mm. A transição para o motor de 1.600 cm³ ocorreu em 1974, equipado com dupla carburação e rendendo 65 cv. Essa mudança trouxe não apenas uma potência superior, mas também ajustes na bitola dianteira, para-brisa maior, sistema de ventilação interna e pisca-alerta.


Produzido desde 1959 no Brasil, Volkswagen Fusca é um dos carros mais famosos da história

Produzido desde 1959 no Brasil, Volkswagen Fusca é um dos carros mais famosos da história / Volkswagen/Divulgação

O modelo passou por reestilizações e séries especiais, como a Prata, lançada em 1979. Em 1983, o nome oficialmente foi substituído por Fusca. Em 1984, o carro ganhou freios a disco na dianteira, e a produção se concentrou exclusivamente na versão 1.600. Em 1985, foi introduzida a versão 1.600 movida a etanol. A produção foi retomada em 1993, encerrando-se em 1996.


O Fusca teve mais de 30 anos de produção e mais de 3,1 milhões de unidades fabricadas no Brasil.  O  Dia Nacional do Fusca serve para lembrar da importância do modelo, ícone cultural até hoje.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Últimas notícias

Últimas Notícias

plugins premium WordPress