Pesquisar
Close this search box.
1200 x 250

Mulher denuncia abuso presenciado pela própria mãe e desaparecimento do marido

Imagem Ilustrativa Violência contra a mulher

Casos de abuso sexual e de feminicídio continuam a aumentar os indíces no Amazonas, tanto nos números da Secretaria de Segurança Pública, como nas páginas policiais, pois são crimes hediondos e que causam repulsa na sociedade.


O caso a seguir foi relatado por uma suposta vítima ao EM TEMPO, durante sua permanência na Delegacia de Homicídios e Sequestros (DHS), em Manaus, para denunciar o fato, na manhã desta terça-feira (15).


Brenda Vasconcelos, de 19 anos, disse ter vivido momentos de violência, violação e dor na sexta-feira (14) no município de Presidente Figueiredo, a 100 quiômetros de Manaus.


Ela disse ainda estar buscando pela justiça, após ter sido agredida e violentada sexualmente por três homens, com a presença da própria mãe que, segundo Brenda, a tudo assistiu e nada fez para ajudá-la.


Brenda disse ser moradora do bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus, em uma comunidade conhecida como ‘Cemitério dos Índios’, em um terreno doado pela mãe de seu marido, Lucas Nascimento.


O crime


Apesar da família dela não apoiar a relação, Brenda recebeu um convite de sua mãe, na quinta-feira (13) para passar um tempo em um sítio localizado no município de Presidente Figueiredo.


De imediato, disse ter ficado desconfiada, mas aceitou o convite, pois a mãe prometeu dar um terreno ao casal nas proximidades de onde vivia.


A jovem disse que seguiu para a cidade de Presidente Figueiredo, acompanhada do esposo Lucas e chegou ao sítio da mãe, que vivia com um homem (padrastro de Brenda), na quinta-feira. No entanto, de acordo com a jovem, ela diz que, no dia seguinte, sexta-feira (14), foi brutalmente violentada.


Ela disse ainda que Lucas, o esposo, saiu para dar início a construção da casa e ela ficou no sítio da Família. Assim que o marido retornou à residência, o padrasto de Brenda passou a realizar uma série de xingamentos contra Lucas.


“Quando eu tentei intervir, ele [padrasto] me mandou embora. Eu disse tudo bem, mas queria pegar meu documentos. Quando tentei pegar os documentos, ele pegou o terçado que estava na parede e já foi correndo atrás do meu companheiro” afirmou Brenda e Lucas conseguiram fugir para dentro do mato, porém, Brenda decidiu voltar para pegar os documentos.


“Como eu sou da família não acreditei que fossem fazer nada comigo, então voltei sozinha e disse para o Lucas me esperar”, completando que ao chegar à casa, foi agredida com terçado e uma mangueira de fogão pelo padrasto.


“Meu companheiro ouviu meus gritos. Ele correu de onde estava escondido pulou em cima do meu padrasto e pediu para ele não me bater”, contou a jovem.


De acordo com a moça que diz ter sido vítima de uma emboscada, pois surgiram três homens com espingardas, espancaram Lucas e abusaram sexualmente dela. “A minha mãe olhou tudo. Arrastaram ele para o lado [Lucas] e me arrastaram para o outro. Depois levantaram meu marido, colocaram de frente para mim e me abusaram na frente dele”.


Brenda informou ao Em Tempo que viu os torturadores colocarem Lucas dentro da mala de um carro. Ela conseguiu fugir do sítio da família e agora procura por Lucas, que se encontra desaparecido.


“Eu creio muito no meu Deus, que é o Deus do impossível, e creio que vou encontrar meu marido com vida” enfatizou.


A vítima afirmou que fez um boletim de ocorrência em uma Delegacia de Presidente Figueiredo por lesão corporal, e sequestro. Também fez um registro na Delegacia da Mulher.


O EM TEMPO entrou em contato com a Delegacia de Presidente Figueiredo, mas o delegado informou que ainda nao pode dar mais detalhes, por hoje ser feriado e a delegacia estar funcionando em regime de plantão.


A matéria será atualizada assim que novas apurações forem concluídas e a Polícia disponibilizar mais investigações sobre o caso.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
(ac) banner ofertas seg e ter atacale 20e21 05

Últimas Notícias