Pesquisar
Close this search box.
posto village ezgif.com gif to avif converter

Com rio abaixo de 1 metro, barco com equipe do programa Luz para Todos encalha no interior do Acre

whatsapp image 2024 07 06 at 12.34.13
Barco encalhou no meio do Rio Iaco, na zona rural de Sena Madureira — Foto: Reprodução

A falta de chuva e o baixo nível dos rios no Acre têm dificultado também a viagem de barco dos servidores terceirizados da Energisa, companha de energia elétrica, até o interior do estado. Imagens gravadas por uma equipe que está na zona rural instalando luz elétrica em comunidades ribeirinhas e indígenas mostram os trabalhadores com o barco encalhado no meio do Rio Iaco, em Sena Madureira.


O manancial marcou 0,83 metro no município. Na mesma época no ano passado, o rio estava com 1,39 metro. Os dados são da Defesa Civil Municipal.


O vídeo, enviado com exclusividade ao g1 nesta semana, foi gravado no final de junho, quando a equipe tentava chegar na Comunidade Santa Ana, zona rural de Sena Madureira, e levava placas solares para instalação nas comunidades. A equipe composta por seis servidores de uma empresa terceirizada deve atender 1,8 mil famílias, sendo 700 indígenas. Veja detalhes do programa abaixo.


O eletricista Cosmo Nascimento de Araújo estava na embarcação que encalhou e disse que ele e os colegas tiveram que entrar na água no meio do rio e empurrar o barco. Isso tudo com a água abaixo dos joelhos. Eles saíram de Rio Branco no dia 25 de junho e chegaram no dia 27 na comunidade.


“Estávamos no meio do rio, a água dá abaixo do joelho. O canto mais fundo ‘dá no joelho’. Esse tempo é muito perigoso porque tem a questão de arraia. Nosso meio nessa é época é com elas. A gente fica em um alojamento, a empresa aluga uma casa, e diariamente a gente sobe e desce o rio atendendo os clientes”, explicou o eletricista sobre o vídeo.


Ainda segundo o eletricista, a viagem para as comunidades rurais, no período de seca, são sempre cheias de desafios, incluindo barco encalhado, animais, balseiros, dentre outros.


“Quando o rio está cheio a viagem é mais rápida. A gente vem ali por Assis Brasil, pelo Ramal do Icuriã. Quando vem por Sena [Madureira] é mais demorado”, contou.


Outras imagens feitas pelo eletricista, no dia 12 de junho, mostram as equipes se deparando com vários balseiros no manancial, o que causa dificuldades na navegação.


Programa

 


A Energisa destacou que os colaboradores que aparecem nos vídeos são de uma empresa terceirizada que presta serviço para a companhia. A Energisa é responsável pela execução do Programa Luz para Todos no Acre e conta com a operalização de uma empresa.


O programa atende famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único (CaÚnico) que vivem em assentamentos rurais, comunidades indígenas, territórios quilombolas e outras de reservas extrativistas e que vivem sem energia elétrica.


Escolas, postos de saúde e poços de água comunitários também podem ser beneficiados pelo projeto. Entre 2018, quando assumiu a concessão de distribuição de energia no Acre, a concessionária já fez 11 mil ligações por meio do Programa Luz para Todos, do governo Federal.


Programa Luz para Todos leva energia elétrica para os lugares mais remotos do Acre — Foto: Arquivo/Energisa Acre

Programa Luz para Todos leva energia elétrica para os lugares mais remotos do Acre — Foto: Arquivo/Energisa Acre

O gerente do Departamento de Manutenção e Construção da Energisa Acre, Loureman Azevedo, disse que, desde 2022, o projeto leva energia elétrica para as comunidades mais remotas e atenderam 1,3 mil famílias em 2022, em 2023 atender mais de 1.305 famílias e em 2024 a expectativa é chegar ao número de 4.695 atendimentos.


“Tem que casa que chegamos e a pessoa tem 70 a 80 anos e não teve contato com a energia elétrica. Temos um mapeamento com todos os clientes do Acre que não possuem acesso energia. Visitamos essas pessoas in loco e temos já mapeados 17 mil famílias, que achamos que irá chegar até 20 mil famílias de lugares mais remotos”, destacou.


Para levar uma qualidade de vida melhor para essas famílias, Azevedo contou que há 400 colaboradores nas comunidades atualmente fazendo as instalações. “Essa questão da seca é um problema de todo estado. Nesse período é muito desafiador chegar nos locais, os motores acabam estragando, precisam levar motor reserva. É um desafio muito grande nesse período de seca, na cheia também”, concluiu.


Contingência

 


O governo do Acre montou um gabinete de crise para discutir e tomar as devidas medidas com redução dos índices de chuvas e dos cursos hídricos, bem como do risco de incêndios florestais. O decreto com a criação deste grupo foi publicado no dia 26 de junho em edição do Diário Oficial do Estado (DOE), e fica em vigência até dia 31 de dezembro deste ano.


O Acre decretou, no dia 11 de junho, emergência ambiental por causa da redução da quantidade de chuvas e riscos de incêndios florestais. O decreto de nº 11.492 foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) e é válido para os 22 municípios acreanos.


O decreto aponta para o baixo índice de chuvas para o período, aumento das temperaturas e queda nos percentuais de umidade relativa do ar, além do alerta para possível desabastecimento.


A situação alerta para uma possível seca antecipada, já que no ano passado, o decreto de emergência foi publicado em outubro.


O coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Carlos Batista, disse que o plano estadual de contingenciamento foi elaborado para este período. “Toda a estrutura da Defesa Civil Estadual, todo o sistema estadual do órgão está de prontidão. Já temos o nosso plano de contingência elaborado, anexo a esse plano, o plano das 22 coordenadorias municipais de Defesa Civil para o enfrentamento dessas ações”, concluiu.


Fonte:G1 Acre

Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
cedimp otimizado ezgif.com gif to avif converter

Últimas Notícias