Pesquisar
Close this search box.
970x250 (1)

Germano Marino promete resistência a PL que visa proibir crianças em eventos LGBTQIA+

germano marcos luz 996x600

As críticas levantadas pelos vereadores João Marcos Luz (PL) e N. Lima (PP) na Câmara Municipal quanto à presença de um bloco dedicado a “crianças trans” na Parada LGBT+ no último domingo (2), em São Paulo, geraram críticas do secretário da Associação de Homossexuais do Acre (AHAC), Germano Marino, que classificou os parlamentares como homofóbicos e transfóbicos.


Em relação ao possível projeto, Marino disse que o movimento de apresentação de Leis Municipais e Estaduais para proibir a participação de crianças e adolescentes em Paradas do Orgulho LGBT+ já vem acontecendo em todo o Brasil. Ele mencionou que a medida estava demorando no Acre e garantiu que, se aprovada, a classe vai recorrer.


“Tava demorando para algum parlamentar acreano apresentar aqui no Acre. É um projeto conservador e homotransfóbico. Os parlamentares têm o direito de apresentar projetos de acordo com suas ideologias. Nós, os defensores dos direitos humanos da população LGBTQIA+, também temos o direito de recorrer ao Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a nulidade frente à inconstitucionalidade do projeto, sem esquecermos o cunho racista e homotransfóbico. Agora, em época de eleição, querem se aparecer. No entanto, não passam de homofóbicos e transfóbicos”.


O secretário disse ainda que a atitude dos parlamentares poderá ter resposta nas urnas. “É até bom que isso aconteça, daí os LGBTQIA+ acreanos não votem em quem apresenta esses projetos e ainda façam campanha contrária. Visto o último exemplo dos que votaram no Estatuto da Família”, explicou.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
23.1 digital master super banner pmrb rbo do futuro 2024 ezgif.com gif to avif converter (1)

Últimas Notícias