Pesquisar
Close this search box.
1200 x 250 agnot

Barragem no Rio Acre se torna crucial para amenizar enchentes e secas

whatsapp image 2024 06 20 at 13.57.05 1000x600
Foto: Sérgio Vale/ac24horas

A construção de barragens em trechos do Rio Acre para tentar amenizar os impactos das enchentes no Estado foi o tema central de uma audiência pública proposta pelo deputado Pedro Longo (PDT), realizada nesta quinta-feira, 20, na Assembleia legislativa.


O Acre enfrentou um dos maiores desastres ambientais de sua história recente, com enchentes que afetaram cerca de 80% dos municípios do estado. De acordo com os órgãos de proteção, os danos causados pelas cheias foram devastadores, destacando a urgência de ações concretas para evitar a repetição de tais tragédias.


whatsapp image 2024 06 20 at 13.53.01

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

O presidente em exercício da Aleac e autor do requerimento que propôs o debate, deputado Pedro Longo (PDT), enfatizou a importância de um planejamento a longo prazo. Disse ainda que há necessidade de soluções que não apenas mitiguem os efeitos imediatos, mas que também ofereçam uma proteção contínua e sustentável para nossas comunidades.


“Anualmente, nosso Estado enfrenta sérios problemas climáticos, como alagações que obrigam a remoção de moradores e prejudicam o comércio e atividades diárias. Além disso, períodos de seca constante têm afetado a população. Essa Casa de Leis não quer apenas ficar debatendo medidas paliativas, como a oferta de donativos ou auxílio no retorno às casas com materiais de limpeza. Nós queremos e precisamos buscar soluções mais definitivas para esses problemas recorrentes”, frisou.


Durante o encontro sobre as obras estruturantes contra enchentes e secas do Rio Acre, o ex-deputado Eduardo Farias destacou a importância de se discutir a construção de uma barragem no rio. Ele enfatizou que a barragem não só ajudaria a mitigar os impactos das grandes e médias enchentes, mas também garantiria a segurança hídrica da capital do Acre, especialmente diante das mudanças climáticas e eventos climáticos extremos que se tornaram mais frequentes.


whatsapp image 2024 06 20 at 13.53.31

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

“Minha maior preocupação é a segurança hídrica da capital do Acre. Com o rio Acre apresentando níveis cada vez mais baixos e uma população crescente sem outra fonte de água, corremos o risco de ficar sem água durante as secas. Essa barragem, que há 10 anos visava controlar tanto enchentes quanto secas, hoje é essencial para garantir a segurança hídrica da capital. É essencial que avaliemos a viabilidade do projeto para assegurar que ele atenda às necessidades atuais e futuras de nossa população,” afirmou Eduardo Farias.


O secretário de Obras do Estado, Ítalo Medeiros, apresentou os esforços do governo para enfrentar esses desafios. Ele destacou que o Governo do Estado desenvolveu um estudo abrangente sobre contenções e barragens ao longo do Rio Acre, cujos resultados foram recentemente apresentados à população acreana e ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Medeiros enfatizou a importância de uma abordagem colaborativa entre o Executivo Estadual, Municipal e a Assembleia Legislativa para encontrar soluções eficazes e sustentáveis.


“O Governo do Estado desenvolveu um estudo em relação tanto a contenções quanto a barragens ao longo do Rio Acre. Apresentamos recentemente o resultado desse estudo à população acreana, ao PAC. Eu sou, na verdade, um entusiasta desse movimento que a Assembleia tem feito. No ano passado, a Assembleia fez um movimento similar com o Dr. Foster Brown. E eu acredito muito que todos nós juntos, tanto o Executivo Estadual quanto o Municipal, a Assembleia Legislativa, todos discutindo esse problema em conjunto, a gente consegue construir soluções. O que a gente precisa sempre frisar é que é um trabalho a muitas mãos, não tem solução do dia para noite. Nossas cidades se desenvolveram ao longo dos rios. E os rios têm se comportado de maneira cada vez mais abrupta. A gente tem os eventos climáticos extremos. Então essa é uma nova realidade para o Estado. A gente tem trabalhado em conjunto com todos esses entes para resolver o problema,” afirmou Medeiros.


Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
192882c8aaa53f9b4e234a4553bdad21

Últimas Notícias